Quem sou eu

Minha foto
Sou casado, pai, cristão, membro e Presbítero da IPB de Cambui, no sul de Minas Gerais. Formado em Pedagogia pela Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVÁS, em Pouso Alegre, Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração e Informática - FAI, em Santa Rita do Sapucaí, e Especializado em Políticas Públicas pela UFSC, em Florianópolis.

terça-feira, 3 de maio de 2011

A inveja do sucesso do irmão...


Olá amigos, passada a Páscoa e o real sentido que ela nos leva a parar e meditar, é incrível notar como a natureza humana, falha, pecaminosa, se revela nas coisas mais simples e insignificantes e sem que ninguém compreenda a razão. Basta que um colega de trabalho, ou irmão na fé se destaque um pouco através do seu trabalho, e este venha a ser colocado em posição de destaque sobre os demais, para que algumas pessoas se coloquem em posição contrária, questionando e cavoucando a vida alheia em busca de retalhos que possam ser pinçados para destruir esta ascensão, e para que alguns ‘irmãozinhos’ se sintam no direito de avaliá-lo e invejá-lo.

Recentemente li um artigo escrito por um pastor de uma comunidade cristã nos Estados Unidos, Pastor Antero Mendonça, no qual ele explana sobre a questão da inveja no reino de Deus, ou mesmo em qualquer outro meio onde isso possa ocorrer e a verdade por trás disto.
Sempre que alguém atrai a simpatia de um grupo de pessoas através de sua competência, sua capacidade, e seu carisma, isto provoca no coração de outros, pessoas fracas e sem propósito, o nascimento de um sentimento de mágoa, de tristeza, provocado pela inveja.
Algumas pessoas dedicam toda energia e capacidade para trabalhar na execução de um projeto ou ação, e por fazê-lo desta forma, atingem resultados bons, de destaque. Os demais integrantes deste grupo sejam eles no trabalho, na família ou até mesmo nas igrejas, deveriam se orgulhar por ter em seu grupo alguém com esta visão e amor a causa, porém não é isto que acontece.
O que nós vemos é uma postura desnecessária que nasce da pura e simples inveja daquela pessoa que vem se destacando. E a pergunta que faço a você é: como combater este mal que atrapalha o sucesso e o trabalho de um grupo de pessoas com objetivo comum?
E uma resposta simples e suave vem por meio de acontecimentos e ensinamentos que permearam a passagem daquele que nos amou infinitamente mais do que podemos imaginar com nossos olhos humanos. Quando Jesus começou a pregar o evangelho e a conquistar pessoas para Deus, muitos que eram seguidores de João Batista se sentiram magoados, como que traídos porque Jesus chamava para si mais público do que João que já pregava há algum tempo a palavra. Estas pessoas sentiram inveja da ascensão de Jesus no meio do povo. João não se deixou levar por este sentimento e sim regozijou na vitória de Cristo, através das palavras que Ele proferia, e que através delas, o povo se convertia.
Em nossas igrejas, nossos grupos de trabalho, acontecem cenas como estas, principalmente quando há a necessidade de escolha por meio do voto de pessoas para que ocupem determinados cargos. E sempre há alguém que deixa a inveja penetrar em seu coração e semeia este sentimento no meio do grupo.

É necessário entender que quer seja na igreja, no ambiente de trabalho, ou em nossa família, sempre há muito trabalho a ser feito. Sempre há oportunidade para que nós façamos algo, seja este trabalho pequeno ou grande, mas sem as pequenas tarefas cumpridas jamais realizaremos as grandes coisas. Todos nós temos talentos, dons e habilidades que são únicos. Alguns mais do que outros, ou porque tiveram oportunidade de estudar mais, ou porque tenham mais vigor físico, ou porque tenham uma sensibilidade mais profunda das coisas de Deus, mas todos somos importantes na obra final. 
João Batista mostrou qual deve ser nossa correta reação quando alguém obtém sucesso e destaque maior que o nosso principalmente nas coisas ligadas ao reino de Deus. João disse ao povo: ...convém que Cristo cresça e que eu diminua... Essas palavras nos levam a meditar que devemos ser humildes e servos, dispostos a ajudar e incentivar aqueles que trabalham. Devemos banir do nosso meio todo sentimento de inveja já que o mesmo só destrói, e não traz nada de novo. Ore a Deus, peça orientação para agir conforme a Sua vontade. A gente se fala...

Nenhum comentário:

Postar um comentário