Quem sou eu

Minha foto
Sou casado, pai, cristão, membro e Presbítero da IPB de Cambui, no sul de Minas Gerais. Formado em Pedagogia pela Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVÁS, em Pouso Alegre, Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração e Informática - FAI, em Santa Rita do Sapucaí, e Especializado em Políticas Públicas pela UFSC, em Florianópolis.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A razão está dentro do coração...


Estava em uma roda de amigos neste fim de semana de aniversário de minha cidade, Cambuí – MG, e fui questionado por um amigo do “por que sempre incluo Deus” de alguma forma em meus textos, ou melhor, aqui em nosso blog. E minha resposta foi a mais simples: não faço isso propositalmente, não tenho a intenção de ‘catequizar’ ninguém com as mensagens, nem pesquiso especificamente um tema para escrever a respeito e sim utilizo algo que tenha acontecido ou chamado a minha atenção durante minha vida normal, e principalmente algo que Deus tenha tocado no meu coração.
Assuntos como política, meio ambiente, esportes, turismo, educação, religião, já foram discutidos aqui e você leitor do Blog Papo Virtual levou isso a frente através de muito papo, trocas de twits, mensagens no facebook, e um retorno impressionante através dos e-mails que recebo e faço questão de responder a todos com muito carinho.
Mas então ‘por que’ colocar Deus em tudo que escrevo? Porque a boca fala, e de certa forma as mãos também através das teclas, aquilo de que o coração está cheio. E no meu caso, meu relacionamento com Deus me faz ver o mundo por esta ótica. Aliás, esta é uma das mudanças que as pessoas que passam por uma real conversão sentem: você enxerga a vida e tudo que acontece ao seu redor por uma ‘lente’ diferente. Jesus nos faz ver isso através da visão do amor, mesmo que passemos por situações horríveis, por sofrimentos ‘abismais’ como diria um apresentador de televisão, ou por vitórias tremendas, afinal de contas nem só de desgraça é feita a vida do cristão, pelo contrário, mas de muitas vitórias.
Por conta de minha profissão e função que ocupo, eu me esforço e muito para me manter inteirado sobre os mais variados assuntos. Mas confesso que depois de um dia de trabalho e tarefas familiares, é difícil assistir aos telejornais. Por quê? Porque as pessoas e o mundo são mostrados por uma ótica tão caótica, tudo está cada vez pior, mas muitos dos problemas que enfrentamos hoje já aconteciam há anos atrás, apenas o foco dado era outro.
E é justamente nesse ponto que desejo me ater. Aquilo que muitas vezes chama a minha atenção e toca o meu coração para escrever a respeito, mesmo que seja algo de bom, muitas vezes é passado pela mídia de uma maneira errada. Exalta-se demais a criatura e se esquecem do Criador. Exaltamos demais falsos heróis nos esportes e nas artes, buscamos olhar demais a privacidade das pessoas através de ‘realities’ e esquecemos de cuidar de nossas próprias vidas, enxergamos sempre o que de pior há nas pessoas ao invés de amar o nosso próximo como amamos a nós mesmos, isso se é que temos algum tipo de amor próprio e de respeito com a criação divina.
Sou humano e falho como qualquer um de vocês leitores do Blog Papo Virtual, e nem tenho a pretensão de escrever das coisas de Deus com a propriedade que o faria um pastor, ou padre, mas procuro fortalecer minha vida nas coisas que vem do Pai e passar um pouco deste sentimento a todos vocês... 
Por isso, ao ler os textos que deixo todas as semanas aqui para apreciação de vocês, se alguém perguntar ‘por que’ este cara fala tanto de Deus, saibam que é porque meu coração é Dele e qualquer que seja o assunto debatido eu sempre irei de alguma forma tentar olhar pela ótica cristã e dividir esta visão. Deus abençoe ricamente a vida e a semana de todos. A gente se fala...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

O segredo da vida...

Estava em casa na última semana pensando em meu blog e no tema que estaria escrevendo nos próximos dias, e na TV rolava um clipe de uma cantora chamada Faith Hill, da qual aprecio muitas canções. A música em questão tem o nome “The secret of life”, ou melhor, O segredo da vida. O vídeo apresenta uma conversa entre dois amigos, tentando encontrar resposta para a pergunta: qual o segredo da vida? Qual o segredo para uma boa vida? E assim eles divagam por xícaras de café, belas mulheres, esportistas bem sucedidos, ou uma torta de maçã da ‘mamãe’.
Como o processo de criação e inspiração em mim funciona assim, aleatório, sem hora marcada, sem tempo certo, uma coisa levou a outra, e aqui estou eu fazendo a mesma pergunta a mim mesmo e a você leitor do Blog Papo Virtual: qual o segredo de uma boa vida?
Alguns dizem que é uma boa xícara de café quente logo pela manhã, outros dizem que é uma xícara de chá antes de dormir. Alguns acham que é uma bela mulher, outros dizem que na verdade é poder degustar a comida feita por nossa mãe. Outros dizem que o grande segredo é fazer as coisas bem devagar, outros já preferem fazer as coisas rapidamente para ter tempo livre depois. Muitos consideram como grande segredo ter amigos e estar com eles. O certo é que se você fizer a mesma pergunta para várias pessoas, cada uma delas terá um segredo ou dica para nos passar.
Mas então eu refaço a mesma pergunta, para nós que temos um relacionamento verdadeiro com Deus da seguinte forma: qual o segredo da vida cristã? Ou quais são os segredos de uma boa vida cristã? E vamos analisar que a resposta é mais simples do que pensamos... Se desejamos, de fato, ter uma vida cristã com qualidade, um relacionamento maduro com o nosso Deus, e gozarmos os privilégios dessa relação bastam 3 atitudes: santificação, obediência, e temor.
A santificação nós alcançamos quando nos separamos do mundo e das coisas do mundo. Devemos consagrar nossa vida, e tudo que nos cerca, de maneira consciente, a Deus. Na primeira epístola de Pedro lemos que: "Mas como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento. Pois está escrito: Sede santos, porque eu sou santo”. Através da santificação, Deus com certeza nos faz instrumentos para realizar maravilhas na Sua obra, e como sabemos, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos... Busque a santificação, pois a vontade do Pai é que sejamos uma geração santa, um povo separado, assumindo compromisso com Jesus.
A segunda dica ou segredo de uma boa vida cristã é a obediência a Deus. Se quisermos entender o significado da palavra obediência e sua importância para o sucesso de nossa vida cristã, basta que nós analisemos a vida de um homem no velho testamento: Abraão. Ele era um homem obediente a Deus, ele cria em Deus e pronto, isso já bastava para entender a vontade do Pai. A maior demonstração que Abraão deu foi quando se dispôs a sacrificar a vida de seu próprio filho Isaque por determinação de Deus. Em Atos 5:28-29 lemos que “Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem. Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa antes obedecer a Deus do que aos homens”. Deus deseja que sejamos filhos obedientes, que deixemos o pecado, não olhemos para trás, pelo contrário, sigamos para o alvo por meio de uma vida santificada. Reconheçamos sim os poderes e governos terrenos que Deus tem permitido que existam, porém sempre obedeçamos em primeiro lugar a Deus. 
A terceira e última dica que eu deixo a vocês para uma boa vida cristã é o temor a Deus. E é bom deixar bem claro que temor é diferente de medo. Tememos por respeito, por adoração, em reverência. Não temos medo de Deus, pois Ele não é o deus vingativo que muitos pregam por aí, com sua espada a fazer misérias. Não, acredito em um Deus justo, compassivo, fiel, tremendo, que nos ama tanto que enviou seu filho único para que naquela cruz, bendita ou maldita, morresse por nossos pecados. Ser cristão de verdade não é apenas crer, mas é crer e viver de acordo com a palavra de Deus. No livro dos Salmos lemos que: “Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, e se compraz nos seus mandamentos”, ou então: “Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor, e anda nos seus caminhos”. Então é amar, buscar proximidade d’Ele através da santificação, obedecer a Sua vontade e temê-lo. Simples... Com certeza Ele deseja homens e mulheres e jovens santificados, naturalmente obedientes, e que se entreguem por temor totalmente a Sua vontade. Ótima semana a todos, a gente se fala...

terça-feira, 10 de maio de 2011

Superando o fracasso...


É engraçado reparar como o fracasso, ou a derrota, mexem com as pessoas. Mas tão importante quanto se sentir mexido e sacudido por um fracasso é superá-lo e alcançar nossos objetivos num momento futuro, aprendendo e crescendo com estes desafios.
A vontade de Deus é que o cristão, de uma forma geral, seja um vitorioso. Mas, às vezes, nos encontramos caindo no mesmo erro apesar de todas as tentativas e alternativas. O resultado é que nossa vida acaba sendo caracterizada pelas nossas promessas não cumpridas de por fim a essas falhas.
Dizemos a Deus que desejamos fazer o correto, mas muitas vezes nosso desejo se debilita quando andar certo e agir corretamente não nos parece conveniente ou agradável. Muitos cristãos se entristecem com Deus porque Ele não lhes dá a vitória em alguma luta ou tentação, mas o problema sempre está nas nossas escolhas erradas e não na vontade santa do Pai.

Uma consciência ferida, machucada, e a infelicidade são resultados de decisões e ações errôneas de nossa parte. Por que então seguimos errando e caindo nas mesmas armadilhas? Uma razão é a falta de auto-avaliação de nossos atos. Dentro de qualquer processo é necessário em algum momento você parar, pensar nas suas ações e refletir se tudo está correto ou se é preciso reformular o modo de agir em busca daquele resultado almejado.
É possível que experimentemos tristeza, pena e vergonha sem estarmos verdadeiramente conscientes daquilo que precisamos fazer para não errar mais. O arrependimento verdadeiro, e a contrição podem ser motivos para chorar ou sentir-se culpado; mas o verdadeiro arrependimento é uma mudança de mente, de atitude, quanto aos nossos erros, para aí sim estarmos de acordo com o que Deus nos diz. O coração decide tomar uma direção diferente, contrária a do pecado, contrária a vontade humana e seguir a direção que Deus propõe.
A segunda razão do fracasso é um conceito errado da nossa verdadeira identidade em Deus. O cristão, por ser um verdadeiro filho de Deus tem Cristo morando em seu coração, e sabe que Deus está sempre pronto a dar-lhe poder, autoridade e discernimento. Se entendermos essa verdade, reconheceremos que nossos erros não combinam com o que somos e então, e só então, deixaremos de tentar justificar nossas falhas e abandonaremos de vez as escolhas erradas em nossas vidas.

Nosso verdadeiro discernimento, arrependimento, maduro e adulto, está baseado no sincero conhecimento da nossa identidade em Cristo. Quando juntamos estas duas verdades, reflexão na auto-avaliação e a identificação com nosso Senhor e Salvador, criamos uma ferramenta poderosa contra o fracasso e as derrotas. E sem dúvida cumpriremos a vontade de Deus em nossas vidas: “sermos vitoriosos”. 
Uma semana abençoada a todos, a gente se fala...

terça-feira, 3 de maio de 2011

A inveja do sucesso do irmão...


Olá amigos, passada a Páscoa e o real sentido que ela nos leva a parar e meditar, é incrível notar como a natureza humana, falha, pecaminosa, se revela nas coisas mais simples e insignificantes e sem que ninguém compreenda a razão. Basta que um colega de trabalho, ou irmão na fé se destaque um pouco através do seu trabalho, e este venha a ser colocado em posição de destaque sobre os demais, para que algumas pessoas se coloquem em posição contrária, questionando e cavoucando a vida alheia em busca de retalhos que possam ser pinçados para destruir esta ascensão, e para que alguns ‘irmãozinhos’ se sintam no direito de avaliá-lo e invejá-lo.

Recentemente li um artigo escrito por um pastor de uma comunidade cristã nos Estados Unidos, Pastor Antero Mendonça, no qual ele explana sobre a questão da inveja no reino de Deus, ou mesmo em qualquer outro meio onde isso possa ocorrer e a verdade por trás disto.
Sempre que alguém atrai a simpatia de um grupo de pessoas através de sua competência, sua capacidade, e seu carisma, isto provoca no coração de outros, pessoas fracas e sem propósito, o nascimento de um sentimento de mágoa, de tristeza, provocado pela inveja.
Algumas pessoas dedicam toda energia e capacidade para trabalhar na execução de um projeto ou ação, e por fazê-lo desta forma, atingem resultados bons, de destaque. Os demais integrantes deste grupo sejam eles no trabalho, na família ou até mesmo nas igrejas, deveriam se orgulhar por ter em seu grupo alguém com esta visão e amor a causa, porém não é isto que acontece.
O que nós vemos é uma postura desnecessária que nasce da pura e simples inveja daquela pessoa que vem se destacando. E a pergunta que faço a você é: como combater este mal que atrapalha o sucesso e o trabalho de um grupo de pessoas com objetivo comum?
E uma resposta simples e suave vem por meio de acontecimentos e ensinamentos que permearam a passagem daquele que nos amou infinitamente mais do que podemos imaginar com nossos olhos humanos. Quando Jesus começou a pregar o evangelho e a conquistar pessoas para Deus, muitos que eram seguidores de João Batista se sentiram magoados, como que traídos porque Jesus chamava para si mais público do que João que já pregava há algum tempo a palavra. Estas pessoas sentiram inveja da ascensão de Jesus no meio do povo. João não se deixou levar por este sentimento e sim regozijou na vitória de Cristo, através das palavras que Ele proferia, e que através delas, o povo se convertia.
Em nossas igrejas, nossos grupos de trabalho, acontecem cenas como estas, principalmente quando há a necessidade de escolha por meio do voto de pessoas para que ocupem determinados cargos. E sempre há alguém que deixa a inveja penetrar em seu coração e semeia este sentimento no meio do grupo.

É necessário entender que quer seja na igreja, no ambiente de trabalho, ou em nossa família, sempre há muito trabalho a ser feito. Sempre há oportunidade para que nós façamos algo, seja este trabalho pequeno ou grande, mas sem as pequenas tarefas cumpridas jamais realizaremos as grandes coisas. Todos nós temos talentos, dons e habilidades que são únicos. Alguns mais do que outros, ou porque tiveram oportunidade de estudar mais, ou porque tenham mais vigor físico, ou porque tenham uma sensibilidade mais profunda das coisas de Deus, mas todos somos importantes na obra final. 
João Batista mostrou qual deve ser nossa correta reação quando alguém obtém sucesso e destaque maior que o nosso principalmente nas coisas ligadas ao reino de Deus. João disse ao povo: ...convém que Cristo cresça e que eu diminua... Essas palavras nos levam a meditar que devemos ser humildes e servos, dispostos a ajudar e incentivar aqueles que trabalham. Devemos banir do nosso meio todo sentimento de inveja já que o mesmo só destrói, e não traz nada de novo. Ore a Deus, peça orientação para agir conforme a Sua vontade. A gente se fala...