Quem sou eu

Minha foto
Sou casado, pai, cristão, membro e Presbítero da IPB de Cambui, no sul de Minas Gerais. Formado em Pedagogia pela Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVÁS, em Pouso Alegre, Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração e Informática - FAI, em Santa Rita do Sapucaí, e Especializado em Políticas Públicas pela UFSC, em Florianópolis.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Por que é tão difícil?

É muito bom estar de volta ao nosso Blog Papo Virtual, poder compartilhar pensamentos, sentimentos, com vocês nossos leitores. Passei por uns problemas de saúde que me afastaram do computador e da escrita alguns dias, mas estamos de volta, agradecendo a Deus pelas vitórias diárias e pelo apoio e carinho dos amigos. E ao meditar sobre o tema que escreveria esta semana, me lembrei de uma conversa com amigos e colegas de trabalho, e quando fui argüido sobre minha fé, meu trabalho na igreja na qual sou membro, minhas convicções a respeito de Jesus e o quanto Ele significa na minha vida. Após expor minha opinião e aquilo que fala ao meu coração, contei um pouco do trabalho que desenvolvo na Escola Bíblica Dominical, e também de outras ações que participo em nossa igreja, ouvi a colocação dos demais colegas, porém um detalhe me chamou atenção: como as pessoas lutam, relutam, dificultam para entender o simples.
Algumas pessoas tentam relacionar a fé com história, com a cultura, até com o misticismo, menos com aquilo que ela representa: fé, apenas isso. A fé implica em uma disposição de alma para confiar em alguém ou algo, e a fé cristã é a confiança em Cristo, pela qual se realiza a união com o Seu Espírito, havendo a vontade de viver a vida semelhante à d’Ele. Não é uma aceitação cega e desvairada como alguns pensam e colocam, como se a fé e tudo que a cerca fosse um ópio para a sociedade, mas um sentimento baseado na vida de Cristo, Sua obra, Seu Poder e Sua Palavra. Uma das mais simples definições de fé que já me falaram é que fé é uma confiança que nasce do coração.
E é isso que desejo trazer para o nosso papo virtual aqui no blog. Você tem fé? Em que? Em quem? Você tem sede de que? Você tem fome de que? Esse sentimento é genuíno? Vem do coração?
A bíblia é o livro número ‘1’ daqueles que aceitam, acreditam e crêem em Jesus Cristo, Filho do Deus vivo. Nela nós encontramos histórias sim, algumas estórias também, narrativas de fatos que se passaram há muitos anos atrás. Verso e prosa escritos por homens, servos fiéis a Deus, Profetas, ou mesmo alguns que estiveram pessoalmente com Jesus. Mas apesar de ser escrita através de homens como eu e você, ela foi inspirada por Deus. Não é um livro de auto-ajuda. Se nosso Deus não quisesse que soubéssemos de Seu plano eterno para nossas vidas e Seu amor intenso pelo homem, podem ter certeza que não existiria tal livro. Seu propósito é de nos informar e formar sobre a vida cristã, valores e exemplos. Algumas pessoas dizem que a bíblia como qualquer outro livro tem discrepâncias da realidade por conta dos devaneios dos autores, comparando com livros de romance ou ficção. Mas não amigos, ela é a essência do coração de Deus para o nosso. Costumo dizer às pessoas que, pra mim, a bíblia é o livro que conta a mais bela história de amor. O amor de Deus pelo homem que foi criado a sua imagem e semelhança, mas que insiste em fazer tudo errado e fugir desse amor.
O mais impressionante na atitude de algumas pessoas é que elas às vezes passam a vida toda tentando provar que a bíblia não é o que dizem, que Jesus foi apenas mais um pensador importante que passou por aqui e que Deus é um ser superior, algo muito distante da realidade e de nós. Buscam na ciência a explicação para sustentar seu ceticismo quanto a fé cristã. Chegam a comparar as religiões e crenças que existem no mundo como se todas fossem iguais.
Um cristão, ou seja, aquele que tem fé em Cristo não é aquele que meramente professa esta fé e tenta seguir seus ensinamentos, e sim aquele que experimentou uma regeneração espiritual sobrenatural, mística, e em quem o Espírito Santo literalmente reside. Essa transformação espiritual é então validada na vida do cristão por meio de um processo durante toda a vida, de tornar-se semelhante a Jesus Cristo. É preciso entender que muitos fatos narrados na escritura sagrada não existem provas palpáveis porque Deus propositalmente quer que entendamos isso, aceitemos a carreira cristã pelo que ela significa. Se tivéssemos provas históricas, materiais, científicas, de tudo que representa a fé, pastores e padres talvez não fossem necessários e não exercessem seu papel na história da igreja. 
Eu espero em Deus que Ele ilumine sua vida, que permita que sua mente e principalmente seu coração se abram para uma realidade pautada em uma vida de fé genuína em Deus. Ótima semana, a gente se fala...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Utopia, eu quero uma pra viver...


Estava assistindo um programa de televisão esta semana, no qual o apresentador visita outros países, atrás de pessoas locais e fatos pitorescos... E qual foi a minha surpresa ao ver as histórias sobre a América Central, mais precisamente sobre a Nicarágua, sua cultura, seus costumes, sua gente. Mais interessante ainda foi apreciar o trecho da entrevista com um escritor nicaraguense, importante ativista político, que expôs seus sentimentos sobre as mudanças já acontecidas por lá de uma maneira romântica, de certa forma “utópica”.

Em um de seus trabalhos, ele escreveu uma estória que fala sobre um personagem, um ladrão de utopias e de sonhos... E este ser percorre as casas questionando as pessoas: “quais são seus sonhos e suas utopias?”. Após conhecer estes desejos íntimos, o “ladrão” as rouba e deixa para trás pessoas ressequidas, seres sem esperança. Quantos não são os “ladrões” que existem em nossas vidas, que entram sem permissão, ou em alguns casos, que nós permitimos entrar, que nos conhecem, sugam e carregam com eles nossas utopias...
Quantas vezes algo possível não se tornou utópico por ação de um terceiro elemento qualquer, matando assim um pedaço de nós por conta da não concretização do sonho? Quantas vezes já não nos sentimos como uma criança que tem “um doce nas mãos”, e de repente este lhe é tirado? E o mesmo posso dizer de situações em que tudo parecia impossível e que você com sua força de vontade e mediante a graça e vontade de Deus, conseguiu atingir o objetivo. Precisamos evitar esses “ladrões” em nossa vida, e enfrentá-los se preciso, pois não seria a própria vida uma utopia por si só? Quer maior utopia do que estar neste mundo desfrutando da dádiva da vida que Deus nos concedeu?

Utopia é algo que nunca vai ser alcançado, algo inatingível, tipo missão impossível. E aí eu te pergunto amigo leito do Blog Papo Virtual, vale a pena lutar, gastar tempo e energia por algo que já de antemão sabemos que não iremos atingir? O que é importante de verdade: o ideal utópico, ou o real possível? O sonho ou a realidade? Pois é em cima desse tópico que desejo delinear esse nosso papo semanal.
Não devemos de modo algum esquecer nossa realidade, e sim enfrentá-la, dignamente, todos os dias, sabendo que os desafios vencidos, ou não, nos fazem crescer, amadurecer, nos tornam melhores. Porém também não devemos abandonar os sonhos, por mais simples ou sofisticados que sejam.
A utopia, o sonho, faz parte da essência do ser humano. E assim tem sido através dos tempos e em várias áreas: a utopia política da democracia, as utopias religiosas dos extremistas, as utopias ambientalistas daqueles que acreditam ser possível a recuperação do ecossistema em nosso planeta, ou mesmo a utopia do homem simples que apenas deseja conhecer o mar e sua imensidão. O que se torna necessário é saber lidar com esses pensamentos de certa forma filosóficos, e os sentimentos envolvidos, para que estes sonhos não deixem de existir, mas também não atrapalhem o nosso dia-a-dia. 
E a razão para continuar a busca incessante por nossos sonhos impossíveis, nossa utopias, nossos objetivos inatingíveis, eu resumiria numa frase que li certa vez: “...devemos sempre tentar mirar na lua, porque se por acaso errar o alvo, pelo menos estarei em meio às estrelas...”. Devemos pensar grande, sonhar alto. Ter um relacionamento verdadeiro com nosso Deus, cursar uma universidade, adquirir um veículo novo, morar numa casa maior, ter uma família feliz com filhos, um emprego melhor. Quando alguém busca vencer as utopias que moram em seu interior, certamente consegue ir além, abandona um comportamento de indiferença e resignação, e passa a exigir muito mais de si. E assim, somente assim, é possível conseguir superar-se a cada dia, transformando assim sonho em realidade. Deus abençoe ricamente você leitor do blog, a gente se fala...

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Os filhos crescem...

Esta semana o Jornal Gazeta do Vale completou 3 anos de existência. Então resolvi parabenizar através de meu blog o 3º ano de existência deste ‘digamos’ meu filho também. Com esta edição do próximo final de semana, o Jornal “Gazeta” inicia mais um ciclo de amadurecimento em sua existência. Três anos, mais de 100 edições, uma caminhada nem sempre fácil, cheia de obstáculos, felizmente ultrapassados, devido à persistência e dedicação dos profissionais que o tornam uma realidade.
Claro que as pedras no caminho vão surgindo, porque o jornal acompanha e participa na vida da sociedade. Fala das coisas agradáveis e daquelas não tão agradáveis. Respeita o cidadão, mas privilegia o bem comum. A verdade nem sempre é fácil de ser encontrada, ou contada, e os jornais não são nem tribunais nem laboratórios científicos. O direito ao erro do jornalista, e da direção do jornal, quando de boa fé, resulta da constituição e da lei de imprensa, e por isso fica aqui a minha reverência e respeito aos profissionais formados e graduados em jornalismo.
Todavia, chega de ‘considerandos’ e digamos algo deste ‘moleque’ traquina e promissor, chamado “Gazeta”. Aberto a críticas construtivas, ele está determinado a prosseguir, com o desejo de fazer melhor, e se tornar cada vez maior na região do extremo sul de minas.

Geralmente somos avessos as mudanças, preferimos zonas de conforto. Mas as mudanças nos fazem crescer, nos fazem amadurecer. E navegar é preciso... Como diz a bela canção de Ivan Lins e Vitor Martins, ‘Novo Tempo’,...apesar dos castigos, estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos... E o “Gazeta” está aí, dando a cara para bater, e buscando este momento de amadurecimento para que o leitor possa ter um jornal de qualidade nas mãos todas as semanas.
 Tenho um carinho todo especial por ser um dos fundadores deste jornal, juntamente aos amigos Gerson, Mariângela e Luis Cesar, por ser amigo de todos os profissionais que fazem, ou já fizeram, parte da história do “Gazeta do Vale”, e por saber que este canal de comunicação com o leitor de toda a região é algo que Deus colocou em minha vida.
Cresce menino, busca novos ventos, encontra seu rumo, sem nunca se esquecer de que Deus é sua direção, num novo tempo’. Parabéns Jornal Gazeta do Vale por seu 3º aniversário...
Pra quem quiser saber mais do Jornal Gazeta do Vale:
Ótima semana a todos, a gente se fala...