Quem sou eu

Minha foto
Sou casado, pai, cristão, membro e Presbítero da IPB de Cambui, no sul de Minas Gerais. Formado em Pedagogia pela Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVÁS, em Pouso Alegre, Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração e Informática - FAI, em Santa Rita do Sapucaí, e Especializado em Políticas Públicas pela UFSC, em Florianópolis.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Uma nova identidade...

Em seu último ano de governo (2010), o Presidente Lula lançou em nosso país o novo documento de identidade - o registro de identidade civil (RIC), que passa a ter validade de 20 anos a partir da data de expedição e contém um chip para o armazenamento de todas as informações pessoais de cada cidadão.

Com esta ‘nova identidade’ todo cidadão brasileiro passará a ser identificado por apenas um número, com a impressão digital armazenada em um chip instalado no documento. Este chip conterá a fotografia 3x4 da pessoa, números de outros documentos e dados pessoais, como altura e cor dos olhos e, se o portador desejar, alguns outros dados relativos à saúde do mesmo, como alergias, tipo sanguíneo ou desejo de doar seus órgãos.
Inicialmente não haverá ‘custo’ para o cidadão na troca do atual documento de identidade pelo RIC. De acordo com o governo federal, a impressão digital no chip evitará confusões provocadas por homônimos e minimizará o risco de uma pessoa se passar por outra tanto para cometer crimes quanto para solicitar crédito. Inicialmente o novo documento será disponibilizado apenas em algumas grandes cidades brasileiras e existe a previsão de que em até nove anos o mesmo possa ser disponibilizado para todo o país.
Podemos ver o evidente avanço tecnológico e a busca por soluções na ‘universalização da individualidade de cada ser humano’, porém existe outra identidade na qual também somos únicos, que é a nossa identidade em Cristo, nossa identidade como cristãos, quando optamos por um relacionamento sério e verdadeiro com o Pai através da vida e dos ensinamentos de Jesus.
Quando adotamos este relacionamento e somos transformados, vivemos uma espécie de nova vida, num processo contínuo de aprendizagem daquilo que é correto, e procuramos agir e sermos cada vez mais parecidos com Cristo. Nesta nova vida não importa nossa nacionalidade, raça, educação ou posição social, mas se a pessoa percebe a coisas numa nova ótica, a visão de Cristo.
Diferentemente da ‘nova identidade’ digital que começou a ser usada em nosso país, nossa nova identidade em Cristo está disponível para todos, de qualquer cidade, estado, ou país, e a qualquer tempo, não apenas a partir de 2012 ou sei lá quando. Basta apenas assumir um compromisso sério, agora, de seguir os passos Dele. Na Bíblia lemos que “E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos”.
Outra diferença desta nossa ‘nova identidade’ em Cristo é que muitas vezes por ela o mundo não nos reconhece. Quando digo mundo entendam amigos, família, colegas de trabalho, colegas do futebol, todos nos vêem de uma forma diferente, pois realmente mudamos nossa atitude diante da vida, das adversidades, e dos momentos de vitória. Em I João 3:1-3 temos que “Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro”.

Não deixe para amanhã, ou para o próximo ano. Tome posse já! Da sua nova identidade, da identidade de Cristo, e em qualquer lugar que você se encontre, não apenas nas igrejas, mas com sua família, no trabalho, com os amigos, deixe resplandecer em você o brilho do amor de Deus. Não tente dirigir sua própria vida, mas confia a Jesus a direção do seu pensar e do seu agir. Ótima semana, a gente se fala...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Coelho não põe ovo...

Mais um feriado se aproxima, muitos estão pensando em suas viagens, nas reuniões de família ou com amigos, e nos excessos que serão cometidos, seja com chocolate seja com outro tipo de guloseima. Mas eu gostaria de me ater à comemoração da Páscoa, e dizer que coelho não é o centro da páscoa, e que este animalzinho fofinho, de pelo branquinho e olhos vermelhos, nem mesmo põe ovo. Apesar de nos deleitarmos com deliciosos chocolates na forma de ovos, barras, bombons, bola de futebol, etc..., precisamos atentar para aquilo que é significativo e ensinar aos nossos filhos a essência além do consumismo.
A Páscoa é uma data comemorada há muitos anos e já era celebrada pelos judeus antes mesmo do nascimento de Jesus, porém com outro sentido, o de liberdade, após anos de escravidão no Egito. A palavra “páscoa” vem do hebraico “pessach” e tem o significado de passagem, um ritual de passagem, lembrando a libertação do povo, e também a “passagem” de Cristo da morte para a vida, e sua ressurreição.
Então chega de ovinho prá lá, de coelhinho pra cá, e nada de Jesus... Sim, Jesus, o Filho de Deus, Aquele que veio ao mundo para nos ensinar, para mostrar como viver a vida humana e carnal de forma perfeita e imaculada, mas principalmente para morrer na cruz por nossos pecados. O cordeiro cujo sangue não apenas protegeu a vida dos filhos de seu povo do anjo da morte nas noites ainda no Egito, mas também o sacrifício vivo de um Deus que ama tanto a cada um de nós que foi capaz de enviar seu único filho para padecer naquela cruz maldita para uns, ou bendita para outros, como queiram...
Se for analisar, a morte termina um ciclo, encerra uma história, mas não com Jesus... Ele morreu sim, e no terceiro dia ressurgiu dos mortos, ascendeu para a glória, onde está assentado a destra de Deus Pai, e ali permanecerá até que chegue o tempo de sua nova vinda, não mais para ensinar, para sofrer, para morrer por nós, mas desta vez para julgar vivos e mortos.
Longe de mim a intenção de criar um clima de apreensão nos leitores do Blog Papo Virtual, mas sim uma sensação de esperança, de desejo de viver esse momento na sua plenitude, em que Jesus voltará para reinar. O menino-Deus que nasceu em uma manjedoura, viveu uma vida simples e sem regalos, que quando criança dialogou com doutores da lei, que quando jovem e adulto realizou maravilhas em nome do plano divino, virá para assumir o lugar de Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, e nos amar, guardar, proteger, cuidar, carinhar, pra sempre...
E o que eu preciso para viver esta vida, este momento ao lado de Jesus? É simples meu amigo. Basta aceitá-lo como seu Senhor e Salvador, e entregar sua vida nas mãos de Cristo, e tudo o mais Ele fará. Quando terminar de ler, feche os olhos e fale com Deus, onde estiver, abra seu coração e diga que deseja viver um relacionamento com Deus e provar deste amor incomparável.
Uma páscoa abençoada a todos os leitores do nosso Blog, a gente se fala...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

E o Brasil chora, de novo...


Após um pouco mais de uma semana sem postar, por conta da entrevista que realizamos com o Prefeito de Cambuí, sobre a enquete realizada em nosso blog, estamos de volta a este meio de comunicação, chocado como qualquer outra pessoa com o ocorrido na Escola Municipal Tasso da Silveira em Realengo no Rio de Janeiro.
Uma espécie de crime e barbárie que estávamos acostumados a assistir comodamente pela TV em outros países agora ocorre em nosso quintal, na cidade maravilhosa, sem muitas explicações, se é que uma possa justificar tal ato insano, mas o certo é que fomos atingidos com um soco na boca do estômago...
Doze crianças, doze vidas, ceifadas no início do caminhar, no início do aprender, que estavam dentro de uma instituição de ensino buscando algo melhor para si e para seus futuros, e hoje já não existem mais, apenas nas memórias daqueles que as conheceram e amaram...
Porém, em meio a toda aquela cena de morte e desespero, algumas vidas foram poupadas. Algumas pessoas sobreviveram de forma milagrosa ao ataque daquele que podemos chamar também comodamente de ‘louco’, ‘maluco’, enquanto outros perderam suas vidas. E a pergunta que fica é: por quê?



 
Por que os tiros que mataram Laryssa, Luiza, Rafael, Samira e outros 8 alunos da escola em Realengo não mataram outra dezena de jovens? A resposta meus amigos é simples e eu venho escrevendo sobre isso desde o tempo em que assinava uma coluna semanal no Jornal Gazeta do Vale: propósito!
Tudo tem um propósito aos olhos do criador. Algumas pessoas chamam de destino... Ah, era dia do fulano, ou chegou a hora do beltrano... Eu penso que Deus em sua imensa sabedoria tem um propósito para a vida de cada criatura, cada ser, inclusive o momento de nossa morte. Não estamos nessa vida por acaso, ou a passeio, mas temos algo para fazer, algo para cumprir. E uma dessas ‘missões’, podemos assim dizer, é não se esquecer daquele que nos criou, daquele que nos deu o dom da vida, daquele que nos amou de tal maneira que enviou seu filho único para padecer em nosso lugar.
Não se enganem, pois novas tragédias virão, até porque a questão da segurança, ou ausência desta, em nosso país é um problema sério, porém é preciso estar pronto para o ‘momento decisivo’, o qual não sabemos quando ou como ocorrerá. A própria Bíblia expõe que determinadas coisas não competem aos homens tentar entender o porquê.
Precisamos aceitar, principalmente nós que somos cristãos, que de alguma forma ou maneira este evento violento ocorrido no Rio de Janeiro está dentro do plano divino de nosso Pai Eterno, existe um propósito até mesmo na morte daquelas crianças nos planos d’Aquele que criou os céus e a terra e tudo que neles há.
Encerro meu texto desta semana atentando especificamente nos pais, mães, avós, irmãos, tios, vizinhos, colegas de escola, amigos daqueles brasileirinhos que se foram de uma maneira tão estúpida, e rogo a Deus que os conforte neste momento tão doloroso. Deus abençoe nosso país e nossa gente.
A gente se fala...

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Entrevista com o Prefeito de Cambuí, Benedito Antonio Guimenti, sobre a enquete realizada pelo Blog Papo Virtual...

É importante destacar que desde o ano de 2005, a cidade de Cambuí tem sido administrada com planejamento e organização pelo atual Prefeito, enfrentando todos os tipos de dificuldades, como dívidas de prefeitos antecessores, falta de crédito, crise internacional, entre outras questões que dificultaram ainda mais a já difícil missão de conduzir uma cidade como a nossa, que tem importância regional no extremo Sul de Minas.
                Desta forma o Blog Papo Virtual realizou nos últimos 60 dias uma enquete sobre os anseios e desejos da população de Cambuí quando a cidade completará 119 anos de emancipação política. Participaram desta pesquisa uma amostragem de aproximadamente um pouco mais de 0,5% da população.
                Não podemos de forma alguma desvalorizar o trabalho realizado pela administração pública nestes anos, com seriedade, honestidade, planejamento, porém também é necessário que estejamos sempre prontos a refletir sobre os problemas que enfrentamos e as soluções que apresentamos, e o legado deixado para as futuras gerações.
                 Por isso, o Blog Papo Virtual realizou uma entrevista bem informal com o Prefeito de Cambuí, Benedito Antonio Guimenti, sobre o resultado da enquete e as opiniões expressadas pelos leitores de nosso Blog. Confira o resultado desta conversa com Guimenti a seguir:

Boa tarde Prefeito. É um prazer poder conversar com o senhor, sobre nossa cidade e a enquete que realizamos no Blog Papo Virtual. O senhor aprecia este tipo de pesquisa de opinião, ainda que a amostragem não seja tão representativa?
Guimenti- Toda e qualquer pesquisa de opinião séria é bem vista por nós, visto que as pessoas que estão do lado de fora da administração tem muitas vezes outra visão dos fatos. Muitas vezes criticam por não saber o que está acontecendo realmente. Nós, como dirigentes do município, temos que saber ‘ouvir”, “ver”, “e tentar solucionar”, pelo menos em parte aquilo que está sendo pleiteado, conforme as limitações orçamentárias, de pessoal e as prioridades estabelecidas no plano de governo.
Apesar das últimas operações realizadas em conjunto pelas polícias ‘militar e civil’ em Cambuí, a opção “maior segurança” foi a mais votada na enquete sobre o que as pessoas mais gostariam de ver em Cambuí em seus 119 anos. O que o senhor pensa a respeito deste resultado?
Guimenti- Hoje, em qualquer cidade brasileira o quesito segurança, se não é a maior reivindicação é uma das maiores preocupações dos cidadãos de bem. Cambuí por estar cortada pela BR 381 (Rodovia Fernão Dias), e estar bem próximo de SP, este problema se agrava. Todos sabem que segurança é um direito do cidadão, e um dever do Estado. Sabemos das dificuldades existentes nas Polícias Civis e Militares em Minas Gerais, com poucos agentes fornecidos pelo Estado. Dentro das possibilidades o Município colabora com fornecimento de servidores municipais, principalmente na polícia civil e com convênio para ajuda financeira tanto para combustível, conserto de viaturas, reparos nas instalações físicas, contas de água, luz e telefone, etc. Esperamos nestes 119 anos de Cambuí uma cidade mais segura, onde a população possa se sentir mais protegida e veja o resultado dos esforços aplicados em segurança.
 A segunda opção mais apontada e votada pelos participantes da enquete do Blog Papo Virtual foi “a cidade limpa e bem conservada”. Nós sabemos das dificuldades com escassez de mão de obra e falta de funcionários para atender todos os problemas que a Secretaria de Obras necessita atender. Como resolver este problema e minimizar esta situação de modo a agradar a esta fatia da população que deseja ver a cidade com uma cara melhor?
Guimenti- Uma cidade limpa não é aquela que mais se limpa, mas que menos se suja. Realmente nossa cidade precisa melhorar neste quesito. Nossa equipe de limpeza procura fazer o melhor. Há necessidade de mais servidores locados na limpeza pública, porém esbarramos no item despesas de pessoal. Não podemos ultrapassar a 54% da receita corrente líquida. Pedimos a colaboração das pessoas no sentido de não jogar lixos nas ruas. Podemos constatar na região central da cidade que de manhã a cidade está limpa, porém com o passar das horas vai aparecendo o lixo, até que se faça nova limpeza a noite.
A terceira opção mais votada na enquete sobre a cidade de Cambuí foi a “maior promoção e divulgação da arte e cultura na cidade”. Há pouco tempo nossa cidade foi chamada por uma importante emissora regional de ‘capital cultural do Sul de Minas’. Como explicar este desejo e anseio da população de ver mais atividades artísticas e culturais, e a divulgação das mesmas se a cultura existe de maneira tão intensa em Cambuí?
Guimenti- Cambuí sempre teve uma vocação para a cultura e a arte. Temos na cidade várias pessoas com talentos, podemos citar os trabalhos artesanais realizados no Centro de Convivência da Feliz Idade, os diversos grupos de teatros da cidade, os alunos de música do Centro Cultural, os trabalhos da extensionista rural da EMATER Jucimar Freire, o coral das crianças “Encanto Mirim”, os escritores, os artesãos,  os diversos grupos de capoeira e outras atividades. Todas estas atividades existem, são promovidas, mas penso que esteja faltando um pouco mais de divulgação.
A quarta opção mais votada, sempre lembrando que o participante do Blog Papo Virtual podia votar em mais de uma opção, foi “a cidade bem preparada para o turismo”. Mesmo com os esforços dos últimos 6 anos tentando desenvolver e fomentar esta atividade na cidade, criação de leis especificas, conselhos de turismo, fundo municipal de turismo e outras ações, as pessoas ainda não enxergam o turismo como uma das saídas para o crescimento de Cambuí, sendo que a preocupação com o turismo ficou atrás de cultura, segurança e infraestrutura. Por que o senhor acha que o turismo ainda não é visto com a devida atenção pela população?
Guimenti- Cambuí tem um razoável potencial turístico devido sua localização junto a BR 381 e por ser um pólo regional de comércio. Após a duplicação da Rodovia Fernão Dias, Cambuí teve um incremento na área comercial e industrial, porém conserva o clima de uma cidade interiorana, acolhedora e com alguns atrativos turísticos. É necessário que haja um maior comprometimento dos empresários de Cambuí para poder explorar este potencial, através de bons restaurantes, bons hotéis, boas pousadas e assim cativar o turista que passa por Cambuí, assim todos saem ganhando. Não podemos esperar somente do poder público esta atitude, mas todos nós somos responsáveis por uma cidade melhor para que o turismo traga as divisas necessárias ao nosso município.
A opção “outros” foi a última colocada na votação da enquete sobre os anseios da população de Cambuí para a cidade quando a mesma está prestes a completar 119 anos de emancipação. Alguns participantes da enquete enviaram mensagens dizendo que estas “outras” opções poderiam ser: ‘maior apoio ao produtor rural’, outros disseram que gostariam de ver ‘mais empregos para a população’, e outros participantes disseram através de mensagens que deveríamos ter ‘mais atividades esportivas a disposição de nossos jovens e adolescentes e não apenas incentivo maciço ao futebol’. Na opinião do senhor, quais seriam estas “outras” áreas em que a cidade precisa melhorar nos próximos anos?
Guimenti- O Município de Cambuí tem várias prioridades, entre elas a saúde que embora temos investido mais do que a Lei determina (15% da receita do Município), aplicamos cerca de 24%, mesmo assim há muitas carências que temos que vencer. Outra prioridade é a Educação, pela Lei teríamos que aplicar 25% da receita do município, este valor também é insuficiente e investimos mais do que isso. Nossa folha de pagamento do executivo não pode ultrapassar 54%, hoje estamos gastando cerca de 51%. Portanto o que sobra para outras áreas da prefeitura é muito pouco (obras, assistência social, esportes, lazer, cultura, turismo), tudo é prioritário, portanto temos que eleger a “prioridade das prioridades” e procurarmos fazer muitas atividades em parcerias ou com criatividade, sem aplicar muitos recursos. Precisamos melhorar em todas as áreas carentes, motivo pelo qual é importantíssimo a participação da população nestas ações. O bolo a ser dividido é pequeno e a demanda é muito grande, portanto muitas vezes fica uma fatia bem pequena para um determinado setor. Esperamos nestes 119 anos de Cambuí, que possamos juntos fazer uma Cambuí melhor.
 Uma última pergunta para o senhor: um de nossos leitores não votou na enquete, mas manifestou sua opinião através do email de contato, dizendo que não votaria na enquete, pois para ele “Cambuí está precisando melhorar em tudo”. Que mensagem o senhor deixaria especificamente para este leitor do Blog Papo Virtual?
Guimenti- Cambuí está progredindo, apesar de todas as dificuldades que temos passado. Não podemos nos esquecer que novas empresas estão chegando em Cambuí. Já está havendo falta de mão-de-obra. Dentro de poucos dias a Polibrás estará em pleno funcionamento. A Debmaq está retomando o término de sua construção. Novas empresas estão vindo para Cambuí, que já assinaram compromisso com o Município. Portanto a perspectiva é de dias melhores para Cambuí, com o aumento da demanda de mão-de-obra, com geração de renda e recolhimento de impostos que serão revertidos aos próprios munícipes. Realmente Cambuí precisa melhorar em tudo, não podemos nos acomodar e falar que tudo está bom. Nosso objetivo é realmente continuar trabalhando por uma cidade melhor, “o pedaço mais feliz do sul de Minas”. Obrigado a todos pela compreensão.
Agradecemos ao Prefeito Benedito Antonio Guimenti por nos receber em seu gabinete, e por participar desta entrevista do Blog Papo Virtual. Parabéns pela transparência e liberdade nas respostas. Que venham outras enquetes, e que as pessoas de Cambuí continuem participando. A gente se fala...