Quem sou eu

Minha foto
Sou casado, pai, cristão, membro e Presbítero da IPB de Cambui, no sul de Minas Gerais. Formado em Pedagogia pela Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVÁS, em Pouso Alegre, Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração e Informática - FAI, em Santa Rita do Sapucaí, e Especializado em Políticas Públicas pela UFSC, em Florianópolis.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Salvem Cambuí...

            Após ouvir muitas pessoas de minha convivência diária, amigos do futebol, irmãos da igreja, colegas de trabalho, parentes e tudo o mais, e refletir sobre suas angústias e desejos em relação a nossa cidade, esta semana resolvi fazer uma análise crítica sobre estas questões, uma visão geral de quem atua no serviço público, auxiliando o trabalho de tantas áreas de nossa querida Cambuí.
E para isso vou me utilizar da letra, com todo o respeito ao autor da mesma, do Hino de Cambuí, e a partir deste, discorrerei minhas idéias. E convido você leitor de nosso Blog a fazer o mesmo, concordando ou não.
 “Cambuí querida terra idolatrada... pedaço mais feliz do Sul de Minas...”. Pois é, não há como negar que somos sim o pedaço mais feliz do Sul de Minas. Uma gente alegre, irreverente, ‘festeira’, que gosta de uma roda de papo, um bom petisco e uma boa música. Mas muitas vezes essa felicidade é canalizada para um lado obscuro e se resumem em coisas passageiras como a bebida, drogas, vandalismo, e a falta de respeito para com a nossa cidade e nosso povo. Há felicidade e prazer além da ‘zoeira’... basta descobrir. E nossos jovens principalmente precisam de opções de lazer que lhes tragam a chance de descobrir que a vida careta também é legal e interessante.
És bela, és boa, és rica e abençoada... E tens o encanto das regiões divinas...”. Sem dúvida, se comparamos nossa região em questão das belezas naturais, ou então das oportunidades para as pessoas, até mesmo as menos favorecidas, veremos que Cambuí é abençoada por natureza... Nossas taxas de desemprego, apesar de existentes, são menores que a taxa nacional. E tantos outros problemas sociais que assolam a sociedade brasileira ainda não se fazem sentir em nossa “Cambuizinha”... mas nem por isso devemos acomodar na zona de conforto. Afinal de contas, também não está tudo bem. Temos um sério problema, reflexo de nosso país, que é a violência. Quando cantamos o Hino de Cambuí, podem pensar que estamos mesmo é gritando por socorro: “Salvem Cambuí, terra querida...”. É necessário que nossas autoridades tomem uma posição em relação a este problema e rápido, antes que seja tarde.
O solo teu, fecundo, em farta messe... Nos dá conforto e paz, nos dá riqueza...”. Temos em nosso território, a maior parte do mesmo sendo compreendido pela zona rural. O campo deveria ter o predomínio quando analisássemos as atividades que mais empregam e geram renda, mas não é isso que vemos. Vemos nossos jovens oriundos dos bairros produtores vindo cada vez mais para a cidade e abandonando a história de vida de suas famílias. E isso ocorre por quê? Por que falta incentivo ao meio rural? Por que falta incentivo ao jovem do campo para aprender sim na cidade e depois levar este conhecimento para ser aplicado nas propriedades? O certo é que o solo tão rico e abençoado de nossa cidade muitas vezes é esquecido e o conforto paz e riqueza que o mesmo poderia proporcionar ficam em segundo plano.
E vigorosa e ardente a natureza... em frondes, flores, frutos se enriquece...”. Nossa natureza possui belezas únicas, como o Maciço do Cruzeiro, a Cachoeira dos Fonseca, a Pedra da Onça, entre outros pontos, sem nos esquecermos nunca da área verde dentro da cidade que é a nossa Matinha Municipal, uma espécie de respiradouro natural, que fornece ar puro e oportunidade de contato com o meio ambiente, mas que vem sendo colocada de lado, e tratada apenas como patrimônio ou bem público. É preciso investir em proteção a estas e outras belezas naturais de Cambuí, para que as gerações futuras possam desfrutar de uma natureza vigorosa e ardente, mas sem ser pelas chamas das incansáveis queimadas ilegais.
Os filhos teus são bons e laboriosos... E são assim na vida - honrando a ti...”. Apesar de ser nascido em Cambuí, por muito tempo estive longe, em outras regiões do país, por conta de estudos e trabalhos, oportunidades que me foram dadas graças a Deus, e aos meus pais. Mas só quando voltei meus olhos para o Sul de Minas e para nossa querida Cambuí, é que me descobri de verdade. E tento todos os dias recuperar através do trabalho atuante junto à comunidade, o tempo que estive longe deste manancial de gente alegre, onde a cultura fervilha como que por instinto. Assim são os filhos de nossa cidade, mesmo aqueles que estão distantes por causa maior, nunca se esquecem... Homens como José Nascimento, o qual este ano é comemorado o centenário de maneira póstuma, e tantos outros que lutaram para que Cambuí fosse conhecida e reconhecida não podem ser esquecidos.
Salve, Cambuí, Terra querida...! A nossa vida Será por ti...!”. Por fim, termino este olhar crítico fazendo meu pedido de atenção por nossa terra... Salvem Cambuí, façam por Cambuí, e dêem chance e oportunidade para que as próximas gerações conheçam a história de uma cidade que merece o título de Pedaço mais feliz do Sul de Minas... A gente se fala...

2 comentários:

  1. Muito bom!!!! Parabéns Humberto vc escreve muito bem, gosto muito de ler os seus textos!!!! Parabéns!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto! Cambui é realmente uma cidade divina e que esta pedindo socorro, principalmente pela violencia e drogadição que esta ocorrendo aqui.
    Portanto sugiro, que não apenas as autoridades, mas todos nós, pessoas de bem, nós unamos para combater esses maus ventos que andam soprando aqui.
    XÔ Drogas! Xô violencia! Xô maldade!!!!
    Que Cambui seja feliz como na epoca de nossos avós!!!

    ResponderExcluir