Quem sou eu

Minha foto
Sou casado, pai, cristão, membro e Presbítero da IPB de Cambui, no sul de Minas Gerais. Formado em Pedagogia pela Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVÁS, em Pouso Alegre, Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração e Informática - FAI, em Santa Rita do Sapucaí, e Especializado em Políticas Públicas pela UFSC, em Florianópolis.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

A Vida Passou Rápido Demais...


              Ainda que tenhamos consciência de como a vida passa rápido, não somente pelo que ouvimos, mas pelo que vamos constatando na somatória de nossos dias, meses, anos, é interessante atentar como esta conclusão nos atinge quando a dinâmica da vida nos revela que estamos envelhecendo.
       Por mais que estejamos atentos ao ciclo da vida, vendo pessoas que conhecemos crianças, se formando, se casando, tendo filhos, mais cedo ou mais tarde nos assustamos. Nosso corpo, nossa mente, nossas emoções, tudo chega de uma só vez para dizermos que a potencialidade da vida está diminuindo... se esvaindo... se esgotando. E uma sensação de inquietude toma conta de nós enquanto concluímos que a vida parece ter passado rápido demais.
          E concluir isso significa também ter que concluir muitas outras verdades, que talvez não tenhamos feito o que deveríamos ter feito ou que perdemos tempo investindo em coisas ou situações que agora parecem completamente fora de foco ou importância. Também nos perturba incrivelmente pensar que “já não há caminhos para voltar” ou pelo menos, tentar voltar.

          A dimensão do que deixamos para um depois que não vimos chegar, cresce de forma assombrosamente assustadora e nos perguntamos o que ainda podemos resgatar? E todo este processo culmina com a pergunta dilacerante: minha vida valeu a pena? Terá realmente significado, feito a diferença, ter vivido como vivi e com quem partilhei minha existência?
          Tentar encontrar respostas que acalmem o coração de todos aqueles e aquelas que estão diante desta fase do ciclo da vida, é o meu desejo, que embora ainda tenha apenas 40 anos, e até o atual momento da maturidade tenha convivido com muitas pessoas e situações, amado a Deus e a todos com quem convivi, até mesmo meus adversários, aprecio estar com pessoas que se encontram no entardecer da existência. Que esse desejo possa vir de encontro às nossas necessidades, aliviando assim o “Fardo do Envelhecimento”. A gente se fala...

Nenhum comentário:

Postar um comentário