Quem sou eu

Minha foto
Sou casado, pai, cristão, membro e Presbítero da IPB de Cambui, no sul de Minas Gerais. Formado em Pedagogia pela Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVÁS, em Pouso Alegre, Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração e Informática - FAI, em Santa Rita do Sapucaí, e Especializado em Políticas Públicas pela UFSC, em Florianópolis.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Desabafo de servidor...


Os leitores do Blog Papo Virtual devem estar se perguntando pelo título de nosso texto qual o assunto ou a razão deste que vos escreve utilizar o blog para um ‘desabafo’, e compartilhar este sentimento com meus leitores.
A letra da música já diz que ‘quem canta seus males espanta...’, porém, como não sei cantar, e minha praia é expressar sentimentos através de meus textos, resolvi escrever este depoimento sobre meus ‘males’.
Atuo no serviço público desde sempre, afinal de contas meus pais eram servidores públicos, federais, que atuaram pelo extinto INAMPS, e posteriormente pertenceram ao Ministério da Saúde. Desde o ventre materno respiro a vida pública e tenho gosto pelo que faço porque aprendi o significado do que é ser um verdadeiro “servidor público”.
Servir ao público significa dedicar sua vida ao bem comum, sem utilizar de sua instituição ou cargo para benefício próprio ou de amigos e parentes. Significa deixar lá fora problemas pessoais, e atender e prestar o meu serviço da melhor maneira possível aqueles que pagam o meu salário, ou seja, a população.
Há quase 10 anos sou servidor na Prefeitura de Cambuí, e antes disso, tenho outros 10 anos como servidor do estado de Minas Gerais, na área da educação. Todo esse tempo dediquei minha capacidade, meu talento, minhas formações, em prol do povo, da comunidade, mas vejo que isso não é o bastante, que isso não é levado em consideração por conta do sentimento de desprezo e insatisfação que as pessoas possuem quanto a categoria “funcionário público”, seja no âmbito municipal, estadual ou federal.
Nesse tempo como servidor, aprendi muito, amadureci como homem e como profissional, mas desgastei também minha vida e minha saúde, seja ela física ou emocional. Muito disso por razões simples e básicas: a burocracia do sistema e, principalmente, a maneira como somos tratados pelas pessoas que procuram por nossos serviços.
Antes de ser um ‘servidor público’, sou um ser humano, de carne e osso, que possui sentimentos, mas muitas vezes, as pessoas que nos procuram em nosso dia a dia, buscando nosso atendimento, vêm munidas de um sentimento de poder, de autoridade, poderia dizer que elas chegam com 4, 10, 100 pedras nas mãos, procurando uma escorregadela de nosso discurso ou de nossa competência para nos largar esta ‘chuva mineral’ na cabeça. Isso, especificamente em Cambuí, minha cidade natal, e local, é mais acentuado do que em outros lugares onde tenha atuado profissionalmente. E não consigo entender esta necessidade de se desprezar, ou de se destruir o que é feito pelo outro, sem razão ou lógica.
  A burocracia, ou ‘burrocracia’, que o sistema exige de nós em muitas situações eu compreendo porque a mesma impede aqueles maus servidores, ou os maus governantes, de fazer uso indevido daquilo que é público, e se digo que tenho a vida pública na veia, sei que esse complicador é algo inevitável, porém possível de se superar.
Mas aquilo que realmente atinge o meu âmago, e mexe com as minhas entranhas é o desprezo, a falta de respeito, e de valorização, com que somos tratados pelo público ao qual atendemos e servimos, e no meu caso, falando apenas por mim, com muita dedicação e carinho.
No próximo mês, outubro, existe e comemora-se o “Dia do Servidor Público”, mais precisamente no dia 28 de outubro, e se eu pudesse pedir à ‘Papai do Céu’ um presente como servidor, não seria apenas salários dignos para todas as classes e categorias, planos de carreira, planos de saúde para nós e nossas famílias, mas com certeza meu pedido seria baseado em respeito e carinho das pessoas que convivem e precisam de nosso trabalho, sejam elas nossos superiores, ou o público a quem prestamos nossos serviços.
Sei que Nosso Deus conhece nossas aflições, que Ele é fiel e justo e nunca nos abandona, e minha confiança está nisto, e em mais nada. Muitas vezes Ele permite que nós passemos por certas situações para que ‘vejamos além do que vemos’... Para que possamos crescer como pessoa e como cristão, e minha esperança reside nisto. 
Ótima semana a todos os leitores do Blog, muito obrigado pelos emails e mensagens que recebo, a gente se fala...

3 comentários:

  1. Humberto, parabéns meu amigo e colega de trabalho, faço das suas palavras as minhas.
    Vc conseguiu expressar o que Eu e tenho certeza outros servidores que passam por tudo isso no seu dia a dia...
    Muito obrigado pelo seu, meu e de outros, esse desabafo...

    ResponderExcluir
  2. Mesmo não sendo reconhecidos por muitos continuaremos nossa luta, porque o mais importante é saber que estamos fazendo nossa parte e dando o melhor de nós.
    senti-me desabafando durante a leitura, o que me fez muito bem! Muito obrigada Humberto, por falar por nós.

    ResponderExcluir
  3. Dia 28 de outubro dia também de São Judas Tadeu padroeiro das causas impossíveis, mas compreender um funcionário público não é impossível, parabéns pelo comentário nós as vezes precisamos apenas de um reconhecimento, as pessoas deveriam diferenciar as maçãs.
    Obrigado Humberto.

    ResponderExcluir